Arqueólogos ligados ao Instituto Cobra Azul de Arqueologia e Patrimônio (ICA) realizaram estudos no sítio arqueológico indígena mais antigo do Ceará

Desde 2012 o ICA vem realizando estudos arqueológicos com prospecções e escavações na área da bacia hidrográfica do rio Curu. Os primeiros resultados apontam para a presença de grupos indígenas habitando a região há pelo menos 4.580 ± 30 anos antes do presente (AP). A datação foi obtida através do método C14 no laboratório Beta Analitic, nos Estados Unidos. As amostras utilizadas para a datação foram carvões retirados de uma antiga fogueira encontrada a 80 centímetros de profundidade no sítio arqueológico Caiçara, localizado no município de São Gonçalo do Amarante. Essa datação passa a ser, junto com o sítio Sabiaguaba 2 (4.600 ± 30 AP), localizado na praia de Sabiaguaba, em Fortaleza, a evidencia mais antiga da presença humana no Ceará.

Além dessa datação, o sítio Caiçara apresenta outras três ocupações também datadas em 3.400 ± 30 anos AP, 3.290 ± 30 anos AP e 980 ± 30 anos AP, respectivamente. A hipótese levantada até o momento é de que o sítio tenha sido ocupado por um grupo de caçadores-coletores-pescadores por volta de 4.580 anos AP, por um grupo de caçadores-coletores-pescadores-ceramistas entre 3.290 e 3.400 anos AP, e por um grupo de horticultores ceramistas da tradição Tupiguarani por volta de 980 anos AP.

O ICA continua com os estudos na região e ao longo de 2014 intensificará a pesquisa com novas ações no sítio Caiçara.